Ingredientes

Fabricação de ingredientes, de condimentos e temperos

É um setor que abrange um largo espetro de fabricantes de produtos utilizados correntemente na indústria alimentar. Inclui uma ampla variedade de produtos heterogéneos, tais como condimentos, temperos, molhos, fermentos, concentrados, aditivos, carvão, entre outros.

O estudo “Fabrico de ingredientes para a indústria alimentar”, realizado no âmbito deste projeto, incide sobre empresas com sede nas Regiões Norte e Centro do país e reportaram faturação em 2019. Além disso, apenas foram incluídas empresas com, pelo menos, um trabalhador ao serviço. O setor do fabrico de ingredientes para a indústria alimentar, pela heterogeneidade dos seus produtos, aporta uma multiplicidade de contributos de importância chave no desenvolvimento daquele setor. Estamos perante uma área setorial muito pulverizada, constituída sobretudo por Microempresas (70%), com faturação relativamente modesta. Trata-se de um importante setor com potencial de crescimento, mas necessitado de reestruturação.

Objetivos

Este estudo tem por finalidade efetuar a caraterização do setor de fabrico de ingredientes para a indústria alimentar, nas  regiões Norte e Centro do país. As linhas de força centram‐se num conjunto de parâmetros e indicadores:

Classes de dimensão

Localização geográfica

Maturidade

Exportações

Pessoal ao serviço

Caraterização

É pequena a diferença entre o número de empresas sedeadas na Região Norte (9) e na Região Centro (11). Contudo, já a distribuição por distrito revela profundas desigualdades, sendo de notar que o Porto e Santarém concentram 50% das empresas. Nos distritos de Viana do Castelo, Vila Real e Guarda não está sedeada qualquer empresa deste setor.

Em termos de Recursos Humanos (RH), o setor emprega 300 pessoas. Analisando por escalão, verifica-se que são as empresas com menos de cinco trabalhadores que constituem o grupo com maior expressão (45%). Neste escalão, o número médio de trabalhadores por empresa é de 1,5. Em termos de longevidade, as empresas do setor dos ingredientes apresentam-se com uma maturidade consolidada.

A idade das empresas está diretamente relacionada com o seu volume de negócios. Em termos médios, as empresas mais antigas têm uma faturação superior à das mais recentes. Trata-se, pois, de um setor em que, apesar da maturidade média das empresas ser interessante (14 anos), se constata que elas têm tido dificuldades em crescer.

O fabrico de ingredientes para a indústria alimentar carateriza-se pela predominância das Microempresas (70%), cujo volume médio de negócios, em 2019, foi de 219 mil euros. Este valor revela-se interessante quando comparado com a mesma variável ao nível das Microempresas da globalidade da indústria alimentar, que é de 134 mil euros. Não existe qualquer grande empresa neste setor.

Distribuição geográfica das empresas

Há um relativo equilíbrio entre o número de empresas sedeadas na Região Norte e na Região Centro. Note-se que os distritos do Porto e de Santarém concentram 50% das empresas deste setor.

Volume de negócios médio por empresa - por distrito da sede

O volume de negócios médio por empresa apresenta assimetrias bastante grandes entre distritos.

Empresas por escalão de números de trabalhadores

A totalidade das empresas do setor emprega 300 pessoas.  Neste escalão, o número médio de trabalhadores por empresa é de 1,5.

Volume de negócios médio por empresa - por classe de idade

Deteta‐se uma clara correlação entre a idade das empresas e o seu volume de negócios. Em média, as empresas mais antigas têm uma
faturação superior às mais recentes.

Exportações

Um setor com forte predominância das vendas no mercado interno. O peso das exportações corresponde apenas a 15% do volume de negócios do agregado empresarial. Numa outra perspetiva, um pouco mais de metade das empresas fez, em 2019, vendas ao exterior, demonstrando assim uma motivação para o desenvolvimento de negócios com o estrangeiro. O valor médio das exportações por empresa foi de 484 mil euros.

O mercado da União Europeia constitui o destino de 83% do valor global das exportações das empresas. Este valor é superior à média global das exportações nacionais. As vendas registadas no mercado extracomunitário foram, em grande medida (98%), realizadas pelas Pequenas e Médias empresas. É de registar que, a nível nacional, entre 2017 e 2019, as exportações do setor cresceram 28%.

Exportações - agregado do setor

Predominam as vendas no mercado interno. O peso das exportações corresponde apenas a 15% do volume de negócios do agregado das empresas.

Empresas exportadoras

Um pouco mais de metade das empresas fizeram, em 2019, vendas ao exterior, demonstrando interesse por desenvolver negócios fora de Portugal.

Intensidade exportadora das empresas

As empresas com uma intensidade exportadora superior a 30% são responsáveis por 45% das exportações do setor.

Exportações por mercado externo - por classe de dimensão

As vendas registadas no mercado extracomunitário foram realizadas pelas Pequenas e Médias empresas (98%).

Recursos Humanos

Apesar de representarem apenas 25% do total, as empresas do distrito do Porto são responsáveis por mais de metade dos 300 postos de trabalho do setor do fabrico de ingredientes para a indústria alimentar. É, também, no Porto que está sedeada a empresa que emprega o maior número de trabalhadores (83). As empresas de pequena e média dimensão empregam 82% da força de trabalho da indústria. As Microempresas empregam, em média, cerca de quatro trabalhadores.

Este setor apresenta um razoável equilíbrio em termos de igualdade género, já que 43% dos seus trabalhadores são do sexo feminino. Em termos de remuneração média, constata-se que quanto maior é a dimensão da empresa mais elevada é a renumeração média paga aos seus trabalhadores.

Trabalhadores - distribuição por distrito

As empresas do distrito do Porto são responsáveis por mais de metade dos trezentos postos de trabalho existentes neste setor.

Trabalhadores - distribuição por classe de dimensão da empresa

O número de trabalhadores está diretamente relacionado com a dimensão da empresa.

Trabalhadores - distribuição por género

Razoável equilíbrio em termos de igualdade de oportunidades no domínio da empregabilidade por género dos trabalhadores.

Remuneração média anual por trabalhador - por dimensão da empresa

Quanto maior é a dimensão da empresa mais elevada é a renumeração média paga aos seus trabalhadores.

Consulte o estudo completo, realizado pela AECOA a 24/03/2021, clicando no ficheiro abaixo

Participe 

Contate-nos

Telefone AECOA

256 668 823/4

Telefone AEA

234 639 270

Consulte o projeto

Share This