Equipamentos Inox

Fabricação de outros reservatórios e recipientes metálicos

Esta atividade engloba fabricantes de um largo espetro de equipamentos, tais como cubas, depósitos, silos, tanques, tinas, lagares, tubagens, permutadores e reatores, sistemas de enchimento, etc., com aplicação nas mais diversas indústrias (alimentação, química, combustíveis, entre outras). Organizações empresariais não fornecedoras de empresas da indústria alimentar não foram  consideradas no estudo “Fabricação de reservatórios e recipientes metálicos”.

A principal conclusão a reter é a importância do distrito de Aveiro (particularmente dos concelhos de Vale de Cambra, Oliveira de Azeméis e Arouca) no setor da fabricação de reservatórios e recipientes metálicos. Está-se perante um importante cluster enquadrado na fileira dos equipamentos, serviços e ingredientes para a indústria alimentar, onde pode assumir um papel fortemente dinamizador.

Objetivos

Este estudo tem por finalidade efetuar a caraterização do setor de fabrico de recipientes e reservatórios metálicos para a indústria alimentar, nas  regiões Norte e Centro do país. As linhas de força centram‐se num conjunto de parâmetros e indicadores:

Classes de dimensão

Localização geográfica

Maturidade

Exportações

Pessoal ao serviço

Caraterização

Há um desequilíbrio muito acentuado entre o número de empresas sediadas na Região Norte (82%) e na Região Centro (18%). Foram identificadas empresas deste setor em 14 concelhos destas áreas geográficas. Numa análise da distribuição por distritos, destaca-se Aveiro que concentra 77% das empresas. No norte deste distrito, os concelhos de Vale de Cambra, Oliveira de Azeméis e Arouca são sede de cerca de 62% das empresas estudadas, indiciando a existência de um cluster do setor neste limitado espaço geográfico.

O volume de negócios médio por empresa apresenta algumas assimetrias entre distritos. Destacam-se Aveiro e Viana do Castelo, onde a faturação média das respetivas empresas está acima da média do setor.

Em termos de postos de trabalho, o setor emprega à volta de 1200 pessoas. Analisando por escalão de número de trabalhadores, verifica-se que são maioritárias as empresas com mais de 20 trabalhadores, com 44% do total. Neste escalão, que ocupa 82% da força de trabalho, o número médio de trabalhadores por empresa é de 58, enquanto o número médio de trabalhadores por empresa da globalidade do setor é de 31.

Relativamente à maturidade das empresas, este cluster pode ser considerado como um setor tradicional, pois regista-se que 87% das empresas existem há mais de 10 anos.

No setor da fabricação de reservatórios e recipientes metálicos (Regiões Norte e Centro) predominam as Pequenas empresas (54%), seguido das Microempresas com 31% do total. Assim, as Pequenas e as Médias empresas, em conjunto, representam 69% do total. Não existe qualquer Grande empresa neste setor.

Distribuição geográfica das empresas

Numa análise regional, na Região Norte existem 32 empresas e 7 na Região Centro. Vale de Cambra é o concelho com maior número de empresas (11) que, conjuntamente com Oliveira de
Azeméis e Arouca, agregam 62% das empresas do setor.

Volume de negócios médio por empresa - por distrito da sede

O volume de negócios médio por empresa apresenta algumas diferenças entre distritos. São de destacar os valores dos distritos de Aveiro e de Viana do Castelo que sobressaem claramente.

Distribuição das empresas por escalão do número de pessoas ao serviço

A totalidade das empresas do setor emprega à volta de 1200 pessoas. O número médio de trabalhadores por empresa é de 31. Estamos na presença de um setor industrial cujas unidades operam com muitos trabalhadores.

Empresas - distribuição por classe de dimensão

As Pequenas e Médias empresas representam, em conjunto, quase 70% do universo estudado. Este facto indicia a necessidade de as empresas possuírem alguma dimensão para operarem com sucesso no setor.

Exportações

A fabricação de reservatórios e recipientes metálicos apresenta uma elevadíssima propensão para desenvolver negócios nos mercados internacionais, pois apenas 15% das empresas não fizeram vendas ao exterior em 2019. Contudo, é oportuno referir que as vendas no mercado interno podem mascarar a existência do conhecido fenómeno da “exportação indireta”, que consiste na venda de bens e na prestação de serviços a empresas nacionais, que, por sua vez, os vendem ao exterior ou integram nos equipamentos que vão exportar.

O setor apresenta uma repartição das exportações por mercados, que pode considerar-se potenciadora de problemas, uma vez que o mercado da União Europeia constitui o destino de 90% do valor global das exportações.

Verifica-se a liderança do setor pelas Médias empresas no domínio das exportações. Assim, as seis Médias empresas identificadas (que são todas exportadoras) foram responsáveis por 57% das vendas ao estrangeiro.

As exportações registadas têm origem, na sua quase totalidade, no distrito de Aveiro (85 % do seu valor), reforçando, assim, a importância desta àrea geográfica neste setor.

Exportações - agregado do setor

Em termos de volume de negócios conclui-se que as vendas de mercadorias e a prestação de serviços ao exterior, do conjunto das empresas do setor, atingiram 34,5 milhões de euros.

Empresas exportadoras

A indústria de fabricação de reservatórios e recipientes metálicos tem uma elevada propensão para desenvolver negócios nos mercados externos. Verifica-se que, em 2019, no universo analisado, apenas seis empresas não efetuaram vendas ou prestaram serviços a clientes estrangeiros.

Intensidade exportadora das empresas

Cerca de 37% das empresas exportadoras apresentam uma elevada intensidade exportadora (superior a 30%), demonstrando, assim, uma robusta e continuada dinâmica de procura e consolidação de negócios em mercados externos. A intensidade exportadora média do conjunto das empresas do setor é de 37%.

Exportações por mercado externo - por classe de dimensão

As seis Médias empresas do setor (todas exportadoras) são responsáveis por 57% das exportações registadas em 2019, afirmando-se como a locomotiva do sistema exportador da indústria de fabricação de reservatórios e recipientes metálicos das regiões Norte e Centro.

Recursos Humanos

As empresas do distrito de Aveiro são responsáveis por 85% dos cerca de 1201 postos de trabalho do setor. Segue-se o de Braga com 8%. Os outros distritos têm uma expressão residual, em termos de emprego.

Dentro do distrito de Aveiro é de assinalar o núcleo constituído pelos concelhos de Arouca, Oliveira de Azeméis e Vale de Cambra, que, em 2019, empregavam 58% dos recursos humanos  do setor da fabricação de reservatórios e recipientes metálicos (Regiões Norte e Centro).

As empresas de pequena e média dimensão empregam 94% da força de trabalho desta indústria. Como é expectável, o número de trabalhadores está diretamente relacionado com a dimensão da empresa. Assim, o número médio de trabalhadores das Médias empresas (89) é muito superior ao do das Pequenas empresas (29) e do das Microempresas (6).

Neste setor estão largamente representados os trabalhadores do sexo masculino (89%).

Em termos salariais, salienta-se que quanto maior é a dimensão da empresa mais elevada é a remuneração média paga aos seus trabalhadores.

Trabalhadores - distribuição por distrito

As empresas do distrito de Aveiro são responsáveis por 85% dos 1201 postos de trabalho existentes no setor. Segue-se o distrito do Braga com 8%. Os outros distritos têm uma expressão residual, em termos de emprego criado.

Trabalhadores - distribuição por classe de dimensão da empresa

O número de trabalhadores está diretamente relacionado com a dimensão da empresa. O número médio de trabalhadores por empresa do setor é de 31.

Recursos Humanos - distribuição por género

No setor de fabricação de reservatórios e recipientes metálicos estão largamente representados os trabalhadores do sexo masculino.
Existem, apenas, um pouco mais de 130 trabalhadoras no setor.

Remuneração média anual por trabalhador - por dimensão da empresa

Constata-se que quanto maior é a dimensão da empresa mais elevada é a remuneração bruta média anual paga aos trabalhadores. A remuneração média anual bruta do cluster foi de 16 255 euros, valor que está alinhado com o valor médio praticado na globalidade da indústria transformadora, em 2019.

Consulte o estudo completo, realizado pela AECOA a 24/03/2021, clicando no ficheiro abaixo

Participe 

Contate-nos

Telefone AECOA

256 668 823/4

Telefone AEA

234 639 270

Consulte o projeto

Share This